terça-feira, 21 de abril de 2015

Made With Love


Hoje venho-vos revelar a surpresa em que ando metida. Já à algum tempo que ando a dizer que gostava de ter algo que me cativasse e me desse prazer de fazer.
Pois bem, é com muito prazer que vos venho apresentar a minha nova parceria, chamemos-lhe de "loja online". Vai aparecer por aqui imensos tipos de trabalhos feitos à mão e ainda outras coisinhas (especialmente para as meninas). 

Para quem quiser espreitar ou seguir:
Contacto: mading.with.love@gmail.com


segunda-feira, 20 de abril de 2015

Gato torna-se "enfermeiro"


Encontrei uma noticia que não consegui deixar de partilhar com vocês.
Este pequenote sobreviveu a uma infeção respiratória graças ao abrigo de animais de Bydgoszcz.
Após isto começou a querer cuidar e dar carinho aos outros animais que estavam internados no abrigo.




Podem ler a noticia aqui.

Como é possível mal tratar animais? Eu juro que nunca vou entender.

ps: A minha ausência deve-se ao facto de andar a preparar uma surpresa, curiosas? eheh

sábado, 18 de abril de 2015

III - Sobre mim


Tenho pavor a aviões, ou à queda deles, e não tenciono fazer a experiência.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

TAG "7 coisas"


Já à algum tempo, encontrei esta tag no blog Nas asas do desejo da Diana C. e finalmente decidi, por bem, roubá-la visto que a achei bastante interessante.

7 coisas antes de morrer:

1. Criar uma vida em conjunto;
2. Ir a França;
3. Ter um cão;
4. Acabar os estudos e sentir-me orgulhosa disso;
5. Ter um emprego estável e conseguir sustentar-me com ele;
6. Viver sem a minha fiel companheira ansiedade;
7. Dar-me bem com o meu pai.

7 coisas que mais digo:

1. Oh meu Deus!
2. A sério?
3. Tenho fome.
4. Tenho sono.
5. Falta muito para tocar?
6. Já fizeste cocó outra vez Nana?
7. Não me apetece nada mas tem de ser.

7 coisas que faço bem:

1. Chatear os meus amigos;
2. Servir e cortar bolos;
3. Organizar e arrumar as coisas;
4. Refilar por tudo e por nada;
5. Estragar a unhas pintadas;
6. Estragar certos momentos; 
7. Convencer crianças a fazer certas coisas, principalmente o meu primo (risos);

7 coisas que não faço bem:

1. Ginástica;
2. Cantar;
3. Resolver os problemas da matemática;
4. Ter a palavra certa na hora certa;
5. Enxugar o meu cabelo;
6. Ser lamechas numa relação; 
7. Acordar cedo. 

7 coisas que coisas que me encantam:

1. Animais;
2. Ir às compras;
3. Ficar o dia todo a descansar;
4. Os dias de verão;
5. Ler;
6. Passear;
7. E claro, viajar até à blogosfera!

7 coisas que amo:

1. Comer;
2. Dormir;
3. A minha Nana;
4. Chocolate;
5. Música;
6. Dias de sol;
7. Estar com a minha família, com o meu namorado ou com as minhas miúdas;

7 coisas que não gosto:

1. Trabalhos de grupo que só dão problemas;
2. Alhos e cebola crua;
3. Mexerem nas minhas coisas e não arrumarem outra vez como deve de ser;
4. Ficar sem bateria;
5. Barulho quando estou cansada;
6. Fazer a cama;
7. Pessoas que se acham superiores.

Tal como a Diana C. referiu: Sintam-se à vontade para roubar a TAG se assim o desejarem!

Há dias assim


Há dias em que me deito e penso que mais valia nem ter saído da cama. Hoje foi um dia assim, talvez amanhã seja melhor.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Seremos suficientemente grandes?


É impressionante como somos seres tão fortes e poderosos mas derrepente recebemos uma notícia que pode acabar com toda a grandeza.
Vivemos muito por rotina, e sem querer adotamos a teoria de que as coisas más só acontecem aos outros. Mas não é assim, as coisas acontecem e não batem à porta para entrar.
Confesso que morro de medo com estas coisas.

terça-feira, 14 de abril de 2015

A felicidade é sempre a resposta


Mais uma vez, a coca cola surpreendeu-nos com um extraordinário anúncio. Desta vez o público alvo é para a sociedade preconceitosa. 
Será que vale a pena discriminar uma família que optou pela adoção? E aquela vizinha que tem uma idade avançada para ser mãe? Será que é justo por de parte uma criança que em vez de uma mãe tem dois pais? Ou será que o que realmente importa é o bem estar, o amor e a felicidade de cada um?

domingo, 12 de abril de 2015

É oficial...


...vou começar com os treinos outra vez!

Já tenho andado para começar com isto à algum tempo mas a falta de tempo tem-se apoderado de mim. Pois bem, a partir de hoje toca a trabalhar! Não podia ter começado melhor esta fase, o D' veio fazer uma caminhada comigo logo pela manhã. - são estes pequenos pormenores que me fazem gostar dele, saiu cedo da cama a um domingo e apanhou dois transportes só para me fazer companhia - Tenho também que vos falar de duas aplicações que encontrei na play store e que me vão ajudar bastante (Virtuagym e Treinos diários grátis) estas duas aplicações permitem escolher o tipo de treino que se quer fazer e, os exercícios estão divididos por categorias. A primeira aplicação permite ainda planear os nossos próprios treinos escolhendo assim os exercícios que se vão fazer ao longo da semana, podendo varia-los conforme os dias. E depois, o que eu gosto muito, ainda deixam notificações para não nos esquecermos de treinar.
Agora à tarde resta-me estudar, amanhã tenho um teste intermédio de português acabadinho de inventar pela minha querida professora. Bom domingo!

sábado, 11 de abril de 2015

Eu ligo


Eu ligo, ligo na esperança de ouvir a tua voz, de sentir a tua respiração no meio de cada frase.
Ligo sem motivo e sem hora prevista. Ligo porque sinto necessidade de ouvir essa tua gargalhada.
Ligo, porque de alguma maneira, tu me fazes sentir calma e mais segura.
Posso não dizer nada, mas eu ligo.

Pais e filhos


Hoje fui, juntamente com a minha mãe, levar uma visinha até ao lar para ela poder ver o marido. Deixá-mos lá a senhora e fomos dar uma volta para os deixar a sós e para fazer tempo.
Pois bem, quando regressámos entrámos para estar um bocadinho com o senhor e para lhe fazer companhia.
Na hora de vir embora, um outro senhor veio logo connosco até à porta - na qual tivemos um bom bocado à espera para sair - qual foi o meu espanto quando este senhor começou a falar connosco. Disse-nos que queria ir embora porque tinha uma casa só dele e não precisava de estar ali. Claro está que a minha mãe - com o seu grande poder de boa conversa simpática - lhe explicou que não podia e que, além disso, a casa dele agora era ali ao pé dos amigos/as. O senhor simplesmente respondeu com um pergunta: Mas porquê?
Este episódio deixou-me com o coração tão apertado e, com isto a pergunta do senhor começou a fazer sentido na minha cabeça.
As pessoas são tão egoístas porquê? Hoje os país abandonam os filhos e amanhã estão a ser abandonados pelos mesmos. As pessoas são utilizadas e desprezadas como objetos porquê? Quando dão trabalho e despesa toca a deixá-las ao cuidado de outrem, sem sequer saber com que condições. A vida dá tantas voltas e o karma anda sempre atento.
Mas claro que ambém tenho em conta que cada vez mais é preciso consiliar o trabalho e o dinheiro para proporcionar alguma qualidade de vida, mas se recuarmos no tempo, também havia estes problemas e não havia cá infantários nem lares para ninguém. As crianças eram criadas em casa e os idosos ficavam ao cuidado da família até morrerem. Até porque para estarem num lar é preciso dinheiro de todas as maneiras. 
Eu não conseguia deitar-me na minha cama e saber que a minha mãe estava num lar aos cuidados de não sei quem que trata bem ou não dela. Para isto acontecer - sim porque, a palavra "nunca" é muito forte - eu teria de estar muito, muito aflita.
Onde estão os filhos deste homem que mal chega a velho - diga-se de passagem que até estava bem conservado para estar ali - é depositado num lar? Ou melhor, onde está o coração do filho dele? Só me apeteceu agarrar no senhor e vir-me embora com ele.
Já no carro, decubri através da minha visinha, que este é só um dos casos naquele lar. Este senhor já conseguiu fugir; há pessoas que só veem a família de dois em dois meses e até há casos de filhos que vieram passar férias com os pais até Portugal e sem querer deixaram-nos aqui.

E agora pergunto eu: Mas porquê? Porquê viver num mundo assim?

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Coisas simples da vida


Hoje quando saí do curso apercebi-me de que ainda era de dia - o que nunca acontece visto que saíu por volta das vinte horas - fiquei logo mais animada. Não sei explicar o efeito, mas até parece que a zona era outra, já não estou habituada a  vê-la com tanta vida e claridade àquela hora. Até me deu mais força.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Eu só queria tempo


Eu queria conseguir estudar para o código, para matemática e atualizarme das restantes disciplinas. Queria poder passar mais horas junto da minha família, apoiá-la e ajudar mais em casa. Gostava de poder dar toda a atenção ao meu relacionamento e apimentar mais as minhas amizades. Queria ler mais, dormir mais, arranjar-me mais e ainda ter um bocadinho do meu dia para treinar. E no fim do dia? No fim do dia eu gostava de poder vir aqui nas calmas sem ser a correr.
Mas a verdade é que eu não tenho tempo para nada, quero e tenho de fazer tudo isto mas parece que chego sempre à cama de ratos e penso "eu não fiz tudo o que queria". O tempo passa a correr e eu começo a pensar: Será que vale a pena tudo isto? Andamos sempre numa correria e no fim falta sempre algo ou alguém. Sinto-me insatisfeita, não gosto de viver assim. Com isto tudo acabamos por não aproveitar o que a vida tem de bom para dar e porquê? Porque nós queremos sempre mais e mais.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Março no instagram

Hoje decidi trazer-vos os melhores momentos de março que partilhei no instagram do blog:

1. Boas vindas da Simple Girl ao instagram; 
2. A minha primeira francesinha (mas acho que não volto a repetir); 
3. Preparação para o teste de psicologia (tirei quinze valores); 
4. Meu amor; 
5. Unhas de março; 
6. Uma das esperas pela camioneta; 
7. Dia do pai; 
8. Parte do zoo do meu primo; 
9. Contagem decrescente para a melhor passagem de anos, juntamente com as minhas miúdas; 
10. Sweet eighteen; 
11. Entrada da Nana na minha vida (23 de março); 
12. Aniversário do meu puto reguila; 
13. Meu fiel companheiro; 
14. Beldades da primavera; 
15. A Nana a falar com vocês; 
16. Primeira aula de condução; 
17./18. Os meus animais de estimação do meu pai; 
19./20. Viagem para a terrinha. 


segunda-feira, 6 de abril de 2015

Luta pelo poder


Amanhã já começa a rotina e eu nem dei pelas férias passarem, foi tudo tão rápido mas soube mesmo bem.
Neste último período tenho de dar tudo pelas notas, preciso disto. Os meus principais objetivos vão ser subir a nota de matemática, manter ou subir as restantes e não deixar acumular matéria, quero dedicar-me a cem por cento. 
Esta semana vou aproveitar para estudar código visto que como ainda é a primeira semana de aulas dá para fugir um bocadinho.
E vocês? Quais são os vossos objetivos para este novo período? 
Bom regresso para quem vai voltar à escola amanhã, e quanto a quem não vai, espero que tenham um ótimo dia!

domingo, 5 de abril de 2015

Boa Páscoa

A Nana veio servir-vos, fiquem à vontade eheh

Aproveitem bem o dia e comam muitas amêndoas!

sábado, 4 de abril de 2015

Carregal no coração


 

Como prometido vim apresentar-vos parte da minha terrinha. Na quarta feira passada, com a ajuda da minha amiga, armei-me em turista e, montadas nas nossas bicicletas, fomos tirar fotografias a tudo o que era de mais importante na nossa aldeia. Preparadas? Metam os capacetes! (risos)


Paisagens da aldeia vistas do campo de futebol.
  

Igreja da região, mas ainda existem umas três capelas.
Serração dos meus primos.
Pátio onde nasceu o escritor Aquilino Ribeiro, não sei se já ouviram falar dele mas eu cá só o conheci por ter nascido aqui.
 A partir daqui são apenas fotografias do caminho desde a aldeia até à vila mais próxima. Arriscar-me-ia a dizer que é das viagens mais bonitas para se fazer nesta zona.

  







Foi exatamente aqui, em Viseu, que passei os melhores momentos da minha infância. Quando chegava a altura das férias só queria vir para aqui com os meus avós.
Foi também aqui que conheci a S', a única amiga que tenho na terrinha, - até porque aqui não há muitos jovens e os que existem são quase todos meus primos e mais novos - ela mora mesmo à minha frente e os pais têm um café - a casa deles é uma vivenda onde o andar de baixo corresponde a um café - Como a mãe dela passava os dias a trabalhar lá, a S' atravessava a rua e vinha para minha casa brincar. Brincávamos desde a hora de almoço - os meus avós iam beber café depois da refeição e eu, como desculpa, pedia logo para ela vir para minha casa - até à noitinha.
Atrás da casa dos meus avós existe um terraço, que é partilhado com uma vizinha, onde passávamos a maior parte do nosso tempo. Espalhávamos os brinquedos todos, principalmente as barbies e as pollys. Lembro-me de montar a casa delas com móveis e tudo, no final do dia era o mais chato: arrumar tudo. Era incrível como conseguíamos diferenciar tudo sem misturar nada, a peça mais pequenina e insignificante que fosse estava arrumada no saco certo da pessoa certa. Por vezes, depois do jantar, íamos todos até casa dos meus primos - aqui é que era uma festa autentica - os adultos ficavam a conversar e nós, juntamente com os meus primos, íamos brincar no jardim. Chegava a casa que nem podia (risos).
Agora desejava poder voltar a estes tempos e fazer isto tudo de novo. Só tenho pena dos miúdos de hoje, não sabem o quanto é bom brincar sem ser com a companhia da tecnologia. Vejo isto no meu primo, com apenas três anos começou a ficar agarrado à televisão e até teve o seu próprio tablet - um ipad diga-se de passagem, até me parte o coração quando ele o deixa cair - acho que sou a única a achar isto mal cá em casa, usavam isto para calar o miúdo e agora é o que se vê.

II - Sobre mim


Se há coisa que mais me irrita é existir diferenciação entre pessoas e machismo.
Infelizmente é o que mais existe aqui em casa.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Já estou de volta


Cheguei ontem da terra e adorei lá estar embora tivesse sabido a pouco. O meu avô vai ficar por lá até ao final do mês, o que me deixa de coração apertado ao pensar que lhe pode acontecer alguma coisa outra vez e ninguém lá estar, espero que se porte bem.
Lembram-se de eu vos ter dito que a Nana não andava bem? Ela nestes dias ficou com a minha mãe porque eu não a podia levar comigo para Viseu, pelo que a minha mãe me disse ela nunca mais esteve mal, o que me deixa mais descansada. Entretanto a minha mãe informou-se e descobrimos que a Nana nasceu na semana a seguir do Carnaval - como não temos a certeza do dia certo, eu escolhi o dia 26 porque é o dia em que comecei a namorar com o D' e foi também o dia em que criei este cantinho - portanto ela tem quase dois meses.
Desde que cheguei as coisas não têm andado muito famosas, o meu tio resolveu ter ódio à ex-mulher e acaba por se vingar dela através do filho, típico. A única coisa que não tolero é ver a minha avó no estado em que fica quando acaba de falar com ele. Estou a ver que tenho de começar a tomar alguma atitude perante isto. Já para não falar que o meu pai ainda está chateado comigo e nem me fala, pois bem eu também não vou falar, magoou-me muito na última semana que estivemos juntos antes de ir para a terra. Amanhã já é sábado e eu nem sei se vou estar com ele, aliás ainda nem lhe avisei que cheguei.
Mas nem tudo é mau, o D' começou a trabalhar - se é que se pode chamar de um trabalho a sério - o pai dele, às vezes, vai servir grupos em restaurantes ou em hotéis - até já serviu no hotel da minha mãe - e agora o D' vai com ele servir e sempre ganha algum dinheiro por cada refeição que façam. Para além disto, ele agora anda metido num programa que comprou para fazer aplicações para por na playstore. Anda todo entretido a criar um jogo com a ajuda de uma rapariga de outro país que lhe faz os desenhos - ele no que toca a programar sabe mas desenhar no computador tá quieto - ficaram curiosas? Quando estiver tudo pronto apresento-vos o jogo. Sinceramente também gostava de ter alguma coisa com que me entreter e ganhar algum dinheiro com isso.

ps: Não consegui apresentar-vos a minha terrinha como tinha dito, mas em breve publico tudinho.