terça-feira, 18 de agosto de 2015

Wish list - "Ter um cão"

Começo este post por vos avisar que quem o ler até ao fim corre o risco de se apaixonar (risos).

Durante o tempo que estive fora realizei o maior desejo que tinha na Wish list aqui do blog: Ter um cão. - neste caso uma cadelinha - Tem três meses, e acabei por lhe chamar de Lucky. - mais uma rubrica para o blog (risos) - É algo recente mas já me preenche o coração. 


Apresento-vos a Lucky.

Desde miúda que sou muito agarrada aos animais, principalmente aos cães. Acredito que ganhei esta paixão devido à influência do meu pai, ele andava sempre a arranjar forma de convencer a minha mãe a ter animais em casa.
Pois bem, após uns bons aninhos de luta lá consegui convencer a minha mãe. Tudo foi graças ao meu padrasto, umas vizinhas do trabalho dele tinham um casal de perdigueiros que tiveram três cadelinhas. Duas delas foram-se embora e esta ficou sozinha. Mas quando eu digo "sozinha" é mesmo sozinha, vocês não imaginam como estava a situação. Prenderam as cadelinhas numa espécie de canil com cerca de um metro quadrado, mal dava para andarem lá dentro. E os país, longe das filhas foi o que mais me custou. Claro está que após três meses com companhia, a Lucky sentiu-se sozinha quando as irmãs foram embora. 


Fartava-se de chorar, até que o meu padrasto, com pena, teve a ideia de contar isto à minha mãe, que por sua vez me contou a mim. No mesmo dia fomos lá vê-la, ficou tão contente que nem sabia o que fazer. Só tinha vontade de agarrar nela e mete-la no bolso. E assim foi, passado uma semana de grande ansiedade lá a fomos buscar. - e com esta brincadeira arranjei mais outra guerra com o meu pai, mas isso é outra história que hei-de contar mais tarde. - Mal cheguei a casa tive de lhe dar um bom banho - bem que precisava - e no dia seguinte fomos ao veterinário com ela. 


Ainda não tinha uma única vacina e nunca tinha sido desparasitada - vejam bem o estado em que estava. - Como ainda está em período de vacinas ainda não a podemos levar à rua - amanhã vai levar a segunda vacina mas só dia vinte e nove deste mês é que pode realmente sair. - nunca pensei que fosse preciso tanto tempo de espera!
Durante as duas primeiras semanas, levei-a para casa dos meus avós. Foi um caos, com o meu primo lá em casa a Lucky ficava doida. - ela e eu - Era como se fossem duas crianças dentro de casa. 


Mas agora que vim para a terra estas três semanas a Lucky teve de ficar com a minha mãe. As coisas por lá não andam a correr nada bem, pelo que parece ela não deixa a minha mãe fazer nada e só está bem a destruir as coisas. Para piorar mais a situação não tem respeito a ninguém, exceto ao meu padrasto. Coitado, teve de ir acampar para casa da minha mãe para a poder ajudar (risos).


Mas o pior ainda está por dizer, ando com o coração nas mãos por saber que a minha mãe anda com ideias de dar a Lucky, já não consigo imaginar ficar sem ela e só de pensar nisso vem-me as lágrimas aos olhos.
Só queria poder ir para casa e tomar conta daquele diabrete. Ela só precisa de tempo para aprender até porque já deu várias provas de que é uma cadelinha muito inteligente e, acima de tudo, é muito meiga.


Vamos lá ver como é que as coisas vão correr daqui para a frente. No que depender de mim vou fazer de tudo pelo bem estar dela, mas de preferência ao meu lado.

Aqui vai um sorriso da Lucky para toda a blogosfera!

O que acharam da Lucky? Não é uma ternura? Se querem que vos diga nem posso sair à rua com ela, só atrai pessoas para ter miminhos (risos).

7 comentários :

  1. Ohhhh que coisinha mais fofa. Queria imenso ter um(a) cão/cadela

    ResponderEliminar
  2. nao gosto muito de cães castanhos mas até é fofinha xD

    ResponderEliminar
  3. Que fofura! Espero que fiques mesmo com ela (:

    ResponderEliminar
  4. é uma fofinha, não deixes que a tua mãe de "livre" dela :( também está na minha wishlist ter um cão, ou dois, ou três !

    ResponderEliminar

Diz-me o que vai dentro de ti ♥