sexta-feira, 15 de abril de 2016

 Aprendi a desapegar-me de ti, e não podia estar mais satisfeita com isso.

domingo, 10 de abril de 2016

XII - Sobre mim


Já usei aparelho.

ps: Continuo à espera das vossas respostas aqui.

sábado, 9 de abril de 2016

Quem sou?


Durante o tempo que estive fora completei os meus 19.
Não queria deixar passar este dia em branco, assim decidi dar-me a conhecer mais um bocadinho por estes lados. Mas, primeiro gostava de saber como é que vocês me imaginam.
Digam-me lá, como é que idealizam aqui a vossa Simple Gril?

Se preferirem podem fazê-lo em anónimo.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Estou a pensar rifar a minha sorte


O meu dia de hoje pode ser resumido em duas palavras: pouca sorte.
Para começar saí praticamente uma hora mais tarde do trabalho, - hora essa que nem sei se a vou receber visto que faltavam cerca de dez minutos para ser certa - meti na cabeça que tinha de ir à escola inscrever-me no exame de Português. Assim posso dizer que ao menos tentei. Tirando os papéis mal preenchidos e o que tive de aturar por isso, sei que lá deixei mais de trinta e seis euros. "Para quê?", perguntam vocês bem, para pagar três papeis, uma fotocópia, um exame, um certificado de habilitações e uma multa. (uau)
Eram oito da tarde quando já estava a ir para casa e me lembrei que tinha deixado a minha caneta do trabalho na secretaria da escola. (Já é a quarta que perco)
Será que já tenho motivos suficientes para dar o dia por encerrado? Vá, vamos lá tentar ver o lado positivo da coisa. Quando estava a voltar para casa deparei-me com a paisagem que podem ver na imagem. - Já valeu a pena chegar tão tarde não é? - Ah, por falar em sorte! Hoje uma cliente deu-me um trevo de quatro folhas. - Também já valeu a pena os anos perdidos à procura de um pelos jardins. - (risos)

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Música | Calema ft. Kataleya - Tudo Por Amor



《Olha pra mim e me diz, se alguma vez eu te deixei faltar amor
Encosta-te à mim, e escuta o acelerar do meu coração
Quando tu estás aqui.》

terça-feira, 5 de abril de 2016

Desabafos de uma empregada de caixa #5


Para hoje trago os prós e os contras de trabalhar como empregada de caixa após dois meses de experiência.
Pontos positivos
  • Há sempre música enquanto trabalhamos, mas quando digo música não é aquela de elevador e muito menos de publicidade. Ali temos a rádio ligada até as portas se fecharem.
  • É, sem dúvida, um grande abre olhos para o futuro. Tanto a nível pessoal (sim, porque ali apercebo-me de tanta coisa que visto de fora nem imaginaria) como profissional (é um grande incentivo para continuar a estudar, há ali tanta gente a receber o ordenado mínimo e que trabalham imenso).
  • Como estou em part time, são apenas quatro horitas ali. Para além de ser uma boa forma de começar a entrar no ritmo do trabalho, o tempo acaba por passar mais rápido.
  • Dá-me a possibilidade de ter experiência com o público (o que não é, de todo, fácil).
  • Conhecemos pessoas tão queridas e tão fieis que acabam por nos tocar quer queiramos quer não.
Pontos negativos
  • Tenho de ter sempre o cabelo apanhado (o meu cabelo não facilita neste ponto).
  • Durante o tempo que lá estou não me posso sentar, só durante algum período em que não apareça ninguém (o que praticamente não acontece).
  • Nunca saio a horas, principalmente quando faço a hora do fecho. (Já lá deixei ficar tantas meias horas!)
  • Temos de trazer de casa o pano, o produto de limpeza e até a caneta. (E se a caixa não ficar devidamente bem limpa ainda ralham connosco!)
  • Engolir sapos daquilo que não temos culpa.
  • Sempre que há algum engano (de preços/códigos, confusão de produtos entre duas compras diferentes, desistências à última da hora por parte do cliente, artigos repetidos sem querer, etc) é preciso ligar para os Superiores a pedir para virem fazer as anulações que, por sua vez, precisam de ser justificadas atrás da cópia do talão final. (Estão a imaginar isto tudo por causa de um saco que custa uns cêntimos? E em dias de muita confusão?).
  • Sempre que há falhas de caixa somos descontados e, praticamente sempre, entramos com fundos que já foram usados. Ou seja, se já trabalharam duas pessoas lá  pagam as duas a meias (uma delas sem culpa alguma como podem ver).

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Faculdade, cursos, médias, dores de cabeça


Quando finalmente tomo uma decisão em relação ao que seguir na faculdade, deparo-me com o típico problema: Médias.
Depois de percorrer os cursos todos ou quase todos da minha área, encontrei dois que me interessaram bastante: Recursos Humanos e Gestão Comercial e Vendas.
A minha media final é de 13,3 valores, o que significa que para seguir um destes cursos teria de ir para uma faculdade privada. Como sabem esta decisão requer algum dinheiro (cerca de 12 mil euros só para a licenciatura). Se por um lado sei que é isto que quero, também sei que é injusto pedi-lo aos meus pais. Principalmente pela minha mãe, sim porque o meu pai sempre foi muito agarrado ao dinheiro. - mas felizmente a lei neste aspeto está do meu lado - Visto que está fora de questão sair da minha área de conforto, também já estive à procura de uma outra solução, pedi ajuda a uma amiga minha que me aconselhou a tirar um curso numa faculdade pública e depois fazer o mestrado em Recursos Humanos. Se assim fosse iria para Administração Pública numa faculdade aqui em Lisboa onde sei que entro facilmente. Quer dizer, facilmente não porque o meu "melhor" exame nacional foi de 9,8 valores, ou seja, a média para candidatura desce imenso. Mas nada que não se resolva, ainda vou a tempo de fazer melhoria em pelo menos um exame este ano - em principio, Português - a tempo, salvo seja, o prazo para me inscrever já terminou, e se realmente quiser tenho de pagar vinte e cinco euros de multa vejam bem. Mas isto teria também os seus contras, será que iria gostar do curso se não é isto realmente que eu quero? Parecendo que não são três anos nisto. E depois será que ainda me aguento com um mestrado em cima? Parece-me tudo tão arriscado.

domingo, 3 de abril de 2016

Pobre pequenina


Na sexta feira passada a Lucky fez uma operação, optamos por esteriliza-la. Dizem que é algo simples de se fazer mas, como devem calcular, não deixei de ficar com o coração nas mãos.
Felizmente tudo correu bem, a minha mãe deixou-a no veterinário de manhã e foi buscá-la à tarde - nem quero imaginar a aflição de a ver ali assim - tem andado super mole, só quer é dormir. Creio que seja efeitos dos medicamentos que tomou.
Tal como na imagem, parece um candeeiro - como disse um senhor quando a viu na rua (risos) - até segunda, que é quando vai tirar os pontos.
Mas coitadinha, parte-me o coração vê-la assim. Só para terem uma pequena noção do quanto andei preocupada com ela, no dia em que veio fiquei cerca de uma hora a olhar para ela, só para me certificar de que estava tudo bem. Agora amanhã o trabalho regressa e a pequenina lá vai ficar sozinha, só quero que fique bem.

sábado, 2 de abril de 2016

Um grande obrigada e mil desculpas


Obrigada, mais uma vez, por estarem sempre desse lado. Por nunca deixarem de vir aqui mesmo quando isto parece estar abandonado. Obrigada de coração pelo vosso carinho!

Prometo pôr-vos a par de tudo o que se passou durante a minha ausência, mas primeiro quero passar pelos vossos cantinhos!

Bom fim de semana.

sexta-feira, 1 de abril de 2016