quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Faculdade | Praxe


Quando me fui inscrever na faculdade decidi também fazer parte da praxe e a verdade é que não me arrependo em nada.
No meu primeiro dia ia cheia de receio para o que ai vinha, talvez por ser um ambiente totalmente novo e não saber com o que podia esperar dele, mas depressa passou, diga-se de passagem que fui uma caloira muito bem recebida, até saí de lá com uma maquilhagem nova (risos).
A primeira semana na faculdade foi super cansativa, de manhã e à tarde tínhamos praxe e a partir das 18h começavam as aulas, ou seja, chegava lá por volta das 8h e saía por volta das 22h.
Nesta semana, por ser a receção ao caloiro, a praxe tinha de ser feita na faculdade e então as identidades praxantes não podiam abusar (isto é, não nos podiam sujar nem fazer-nos encher, por exemplo).
Desta semana levo os melhores momentos, a pesar de sermos poucos (no meu curso por norma entram muitas poucas pessoas na primeira fase) diverti-me. Todos os dias era uma atividade diferente, mas as que mais se destacaram foram sem duvida um jogo onde os caloiros da faculdade toda se misturavam e o momento em que descobrimos que havia um caloiro infiltrado.
Quando chegou o pessoal da segunda fase, passamos a ser mais que as mães, o que tornou tudo mais divertido e menos monótono.
O que me chateia nisto tudo é olhar para trás e sentir que não aproveitei como devia ter aproveitado, sou uma pessoa muito tímida quando toca a situações novas, o que não facilita em nada para me relacionar com os outros. Mas também em boa verdade ainda vai tudo a meio, ainda tenho muita farinha para levar em cima, até porque o meu tempo de caloira só termina em maio!
Ainda não tive nenhuma praxe suja, faltei à primeira, mas estou tão desejosa de começar a ir.

A praxe serve para nos integrar-mos, não é só a parte má que os meios de comunicação fazem passar.
A praxe pode ser muito divertida e proporcionar momentos muito bons para mais tarde recordar. Tudo depende das pessoas que estão por trás disto. Como em todo o lado, há quem abuse e não tenha capacidade para entender quando estão a ultrapassar os limites, mas o que temos de ter em conta sempre é que ninguém nos pode obrigar a nada. Se não quisermos fazer não fazemos. Além do mais podemos sair da praxe quando bem entendermos.
Há praxes que custam mais que outras é verdade, mas a maioria delas são muito divertidas.
Se por algum motivo estiverem com receio de se inscreverem na praxe, a sério, experimentem. Vão lá, se gostarem muito bem se não podem sair. Ninguém vos vai por de parte, tenho o exemplo disso no meu curso. Nunca digam que não gostam sem experimentar, ao menos têm uma opinião pessoal e formulada.

ps: Se tiverem alguma dúvida sobre este grande tema deixem as vossas perguntas, no fim de semana irei fazer um post sobre elas.

4 comentários :

  1. Nem todas as pessoas se irão identificar com a praxe, faz parte, mas gostava que, pelo menos, experimentassem antes de fazerem juízos de valor. Infelizmente, encontramos maus exemplos em todo o lado, mas praxe bem feita nunca será para humilhar, muito pelo contrário.
    Fui praxada, praxo e espero continuar neste meio durante muitos mais anos, porque aquilo que vivemos é indescritível!

    ResponderEliminar
  2. É bem verdade, quando entrei para a faculdade também entrei a receio para a praxe, fui para a praxe com uma ideia muito fixa: vou experimentar, ao primeiro momento que me sentir mal neste ambiente, desisto!
    Esse momento nunca aconteceu, vivi os melhores momentos da minha vida na praxe, fiz os melhores amigos, fui apadrinhada, fui a serenatas e a jantares onde nunca se parava de cantar! Fiz tantas coisas boas. E depois tive a oportunidade de praxar, de ter afilhados, de ensinar, de traçar capas, de impor insígnias, de representar o meu curso e a minha faculdade com o maior orgulho do mundo.
    Sei que vi muitos sapatos pretos no meu primeiro ano. Hoje quando praxo, olho primeiro para baixo, para os meus. - Este é o pensamento que todos os que chegam a praxistas tem de ter, para nunca desrespeitarem ninguém e poderem proporcionar a melhor praxe possível ás futuras gerações de caloiros.
    Aproveita este ano, é mesmo o melhor da tua vida académica, e ainda só vai a meio! :)

    ResponderEliminar
  3. Eu quando entrei optei por não entrar na praxe :)

    ResponderEliminar
  4. Também gostei muito da minha praxe. Ui, aos anos que isso foi! :)

    ResponderEliminar

Diz-me o que vai dentro de ti ♥